quarta-feira, 15 de agosto de 2007

O melhor livro que já li

Será que todo mundo tem um livro preferido? O melhor de toda a vida?
Há uns anos eu li o Ensaio sobre a Cegueira, do Saramago. Não foi o primeiro que li dele, mas foi o mais impressionante. Ainda mais nas circunstâncias em que lia: pra passar o tempo num trabalho novo, ainda sem muito o que fazer, cercada de pessoas que se preocupavam muito com o que comprar pra calçar ou vestir. Tudo bem, depois acabei me dando bem com elas; faz tempo que penso que a primeira impressão não é a que fica.
De qualquer modo, sentir-me fora de lugar acentuou as impressões do livro em mim. Quando pensava que tinham chegado ao fundo da sordidez humana, os homens sem nome ficavam ainda piores!
Livro maravilhoso! Durante todos esses anos classifiquei-o como o melhor que já tinha lido em toda a minha vida (oh!).
Neste ano, porém, reli o Cem Anos de Solidão, do Garcia Márquez. Livro da minha adolescência, embora eu continuasse lembrando-o maravilhoso, tinha esquecido os detalhes da história. Sabia alguns, mas o grosso tinha escapado.
Foi duro! Com essa releitura, tive de dobrar o meu "melhor livro que já li"! Difícil decidir qual dos dois acho melhor. Neste exato momento, opto por ambos. São maravilhosos, marcantes! Nâo é à toa que fico dividida justo entre meus dois autores prediletos!

5 comentários:

Madi disse...

Ensaio sobre a cegueira é lindo, mas prefiro, muito mesmo, o Cem anos de solidão. Já li algumas vezes, e me impressiono sempre. Na verdade, gosto mais de livros mais leves do Saramago, como História do cerco de Lisboa e Memorial do convento. Me emociono mais com essas fantasias mais alegres, acho.

Gostei de você ter blog! E claro que tinha que ser verde, né? Vê se mantém firme.
Beijo!

Rafael disse...

Também prefiro o Cem anos de Solidão. Mas acho que meu livro preferido é o Baudolino. Foi o que mais me divertiu e me envolveu. Sei que a temática dele não agarada muito a você, mas a mim agrada demais!
Parabéns pelo blog e torço para que você mantenha ele funcionando.
Beijão!

Anônimo disse...

Tati, aorei a sua iniciativa (já que a minha sumiu faz tempo...). Quem sabe agora não me empolgo também?
Vou ler sempre, prometo!
Ainda não reli Cem anos de solidão, mas tenho sentimentos bons quando me lembro dele. Vou reler qualquer hora dessas... Beiijo!

terezaalves disse...

Oi, Tati.
Que legal achar seu blog! Já que a gente convive tão pouco, é bom saber o que vc anda pensando, lendo, gostando. Ensaio sobre a cegueira e Cem anos de solidão sem dúvida estão entre os meus "top" também. Aliás, Saramago é meu ídolo-mor. Adoro o Jangada de pedra e sua genial imagem da Península Ibérica desprendida, à deriva. Vou ficar de olho no blog. Bjks. Tereza

Daniela disse...

O meu predileto eu não posso postar aqui pq ia ficar muito feinho no meio de tantos clássicos. Só posso dizer que foi um romance para o qual a maioria das pessoas torceria o nariz e que eu o li com 13 anos.
Já o segundo predileto foi Feliz Ano Velho, livro que eu adoro e li com 14.
Adorei o blog! Quer uma sugestão de post? Que livros vc recomendaria pras suas filhas, sabendo o temperamento específico de cada uma.
Beijos, já te linkei!

Pra não ser estraga-prazer!

No começo, eu evitava falar das tramas dos filmes, livros e séries que comento aqui, mas isso limita muito e, com o tempo, dei mais liberdade às minhas postagens.
Porém, como eu não gosto que me contem as histórias, como eu adoro as surpresas que os criadores geralmente nos preparam com tanto esforço, não quero estragar o prazer de ninguém.
Se você é como eu, melhor ler ou ver antes. Mas convido-o a voltar depois, pra saber o que eu achei.