segunda-feira, 10 de setembro de 2007

"Travessuras da menina má"

No começo do ano ganhei, de aniversário, as Travessuras da menina má, do Vargas Llosa.
Apesar de meu professor mais querido da juventude (quiçá de toda a vida), de Literatura, sempre dizer que era um de seus autores preferidos, de quem gostava mais até que do García Márquez (um de meus ídolos), eu nunca tinha lido nada dele, nem mesmo A guerra do fim do mundo.
Há uns anos tentei ler A festa do Bode, também presente, mas não consegui passar das primeiras páginas.
Pois A menina má me surpreendeu. Leitura boa, que flui e diverte; instrui; emociona, também. Tá certo que dá a maior raiva da Menina Má. E mais ainda do Bom Menino!
E tem uma certa passagem que me deixou triste, incomodada, mas isso é porque não lido bem com algumas perversões. De qualquer modo, recomendo.
Vale observar o que diz um amigo/colega de profissão do Bom Menino sobre o trabalho que fazem. Eu, que vinha admirando totalmente o cara por trabalhar naquilo, tive de ver o caso por outra ótica. Não conto pra não estragar a descoberta de quem for ler. Embora não seja propriamente uma história de suspense, respeito quem curte descobrir por si mesmo, como eu!

A propósito: depois até retomei A festa do Bode, e gostei mesmo. Mas abandonei por razão emocional: as crueldades das ditaduras e dos ditadores com seus capangas não me descem pela garganta. E hoje em dia não leio ou vejo o que me faz sofrer, salvo especialíssimas exceções. Quem for mais frio, sugiro que se arrisque também pela Festa e outros Vargas Llosas. Depois me conte, ok?

Um comentário:

Daniela disse...

Dei esse de presente pra minha mãe no dia das mães, ela leu, gostou e agora eu ia trazer, mas algum primo apressadinho passou na minha frente. Vou tentar ler em dezembro, se a minha vida social (ui!) deixar, hehehehe...

Pra não ser estraga-prazer!

No começo, eu evitava falar das tramas dos filmes, livros e séries que comento aqui, mas isso limita muito e, com o tempo, dei mais liberdade às minhas postagens.
Porém, como eu não gosto que me contem as histórias, como eu adoro as surpresas que os criadores geralmente nos preparam com tanto esforço, não quero estragar o prazer de ninguém.
Se você é como eu, melhor ler ou ver antes. Mas convido-o a voltar depois, pra saber o que eu achei.