terça-feira, 13 de julho de 2010

Bandeira do Brasil em crochê



Bandeira do Brasil feita em crochê.




Detalhe da bandeira, com o efeito proporcionado pelo tecido desfiado.


A Copa já acabou, o Brasil foi eliminado há eras, a Espanha foi campeã (merecidamente, pelo menos graças aos dois últimos jogos), mas não é por isso que a gente precisa tirar da decoração todas as bandeiras do Brasil que pendurou pra ajudar na torcida.
Esta, então, eu não pretendo despendurar tão cedo!

Eu não concordo com o repetidíssimo clichê de que só somos patriotas em época de Copa do Mundo.
Gostar de futebol, torcer pela seleção (mesmo sem concordar muito com ela), enfeitar a casa de verde e amarelo durante a Copa não implica ser alienado, ignorante ou cabeça-oca. Não significa não dar a menor bola pra política ou economia, não saber o que acontece no país ou no mundo.
Tampouco quer dizer que não se deseja um país melhor, um mundo melhor ou a própria humanidade melhor.
Alguém pode, sim, gostar muito de futebol e ser extremamente ligado nos acontecimentos, a sua volta, ter postura crítica, ser politizado. Aliás, um dos homens mais inteligentes e bem informados que eu conheço, que (talvez não por acaso) é o meu marido :) , adora futebol. E, inclusive, é muito bem-informado também sobre esse assunto.

Digressão à parte, no clima de Copa, e bem antes de o Brasil ser eliminado pela Holanda, eu também quis uma bandeira pra pôr na janela. Mas, claro, não queria uma bandeira como as outras, que eu poderia comprar em qualquer loja por aí. Quis uma diferente e resolvi fazer de crochê.
Eu já tinha há algum tempo agulhas de crochê bem grossas, de 8, 9 e 10 mm, mas nunca tinha usado. Não sabia exatamente com que tipo de fio usá-las, e passei um tempo matutando sobre isso. Minha ideia foi cortar tecidos velhos (lençóis, cangas furados, por exemplo), transformá-los em fio e tecer com eles.
Como não tinha em casa tanto tecido assim, ainda mais com as cores da bandeira do Brasil, a opção foi comprar. Nesse ponto, eu arrisquei. Pedi o tecido liso mais barato que tinha na loja, e era o oxford. O que eu não sabia era que ele desfiava tanto. Até que o efeito visual ficou bom, eu gostei. Mas o problema é que, por causa desses desfiados, o tecido vai esgarçando com o manuseio e, se for preciso desmanchar o crochê (o que obviamente aconteceu comigo), ele vai arrebentando.
Se eu fosse fazer outra vez, compraria um tecido que não desfia, como malha.

Para o gráfico, mais uma vez, tive a ajuda do meu querido marido, que é sempre quem cuida dessa etapa.

Para a minha bandeira, que ficou com 91 x 57 cm, comprei:
4 metros de oxford verde (quase não deu);
1 metro de oxford amarelo (sobrou);
1 metro de oxford azul (sobrou);
20 cm de oxford branco (sobrou),
todos com 1,5 de largura.

Cortei o tecido em "tiras" de mais ou menos 1,5 cm de espessura. Fui cortando em espiral, pra ter um fio contínuo, contornando a borda do tecido. Assim:



A técnica que usei para tecer a bandeira e formar o desenho foi a do "jacquard", que eu sabia que existia pra tricô e, por intuição, imaginei que seria possível fazer em crochê. Comecei com a intuição mesmo, mas, pra tirar umas dúvidas que surgiram, contei com a sempre útil dupla Google/YouTube.
Aqui vai um vídeo que mostra como fazer, em espanhol:



Eu não sei bem se esse tipo de desenho se enquadra no jacquard, porque sempre vejo gráfico com motivos repetidos, que formam um padrão. Mas, mesmo que o nome esteja errado, a técnica se aplica: o desenho ficou como eu queria.

O gráfico para a bandeira está aqui:

Eu queria a minha grande, mas dá pra fazer com qualquer fio, e ela vai ficar proprocionalmente menor, claro.
O truque pro jacquard é sempre trocar os fios de posição no lado avesso.
No caso do crochê, o arremate de um ponto tem de ser feito com a cor do ponto seguinte, como mostra o vídeo.
Requereu uma certa coordenação motora lidar com todos aqueles novelos de fios, principalmente na hora de tecer as estrelas, mas não foi nada impossível.
No caso da minha bandeira, como eu não queria que os fios trançados ficassem à mostra, mesmo no avesso, costurei um forro atrás para escondê-los. E pra não estragar quando a bandeira for lavada.
Afinal, eu pretendo que as minhas meninas (ou as filhas delas) disputem entre si o direito de usar esta bandeira como decoração na Copa do Mundo de 2050. Minha intenção era que elas lembrassem que eu a havia feito no ano em que o Brasil foi hexacampeão, mas os meninos do Dunga não me ajudaram nesta parte.
Eu, pelo menos, fiz a minha. Fiquei bem satisfeita com o resultado.
Quem sabe eles não fazem melhor em 2014?

5 comentários:

Daniela disse...

Criatura, que trabalheira!!! Achei show, esse efeito desfiado ficou o máximo! Coisa pra guardar por gerações, parabéns!!!
Beijos

Rafael Lago disse...

Obrigado pela parte que me toca. Vamos manter a bandeira na frente de casa até ela desmanchar. Te amo.

Rebeca disse...

oi Tatiana,

adorei a bandeira !!! parabéns pela criatividade e obrigada por dividir o gráfico...assim que tiver a minha pronta te envio uma foto.
abraços,

Rebeca disse...

oi Tatiana,

adorei a bandeira !!! parabéns pela criatividade e obrigada por dividir o gráfico...assim que tiver a minha pronta te envio uma foto.
abraços,

Tatiana disse...

Rebeca, de nada. Vou adorar ver a sua bandeira. Divirta-se!

Pra não ser estraga-prazer!

No começo, eu evitava falar das tramas dos filmes, livros e séries que comento aqui, mas isso limita muito e, com o tempo, dei mais liberdade às minhas postagens.
Porém, como eu não gosto que me contem as histórias, como eu adoro as surpresas que os criadores geralmente nos preparam com tanto esforço, não quero estragar o prazer de ninguém.
Se você é como eu, melhor ler ou ver antes. Mas convido-o a voltar depois, pra saber o que eu achei.