segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Crítica demais?

Eu sei que posso ser excessivamente crítica. Tudo bem, eu admito.
Mas, caramba, eu tenho que usar um livro como manual pra escrever um trabalho de conclusão de um curso de pós-graduação em Língua Portuguesa.
Veja bem, em Língua Portuguesa!
Como é que posso confiar nesse livro se ele tem um monte de erros gramaticais horrorosos e muitos outros de revisão não menos feios?
É muito difícil! Pra mim é um conflito enorme.
Já tive que ler um outro livrinho por conta desse mesmo curso. Era prum trabalho de conclusão de disciplina, apenas, mas olha, foi difícil! Um livrinho mal escrito, fraquinho pra caramba, em que o cara não consegue deixar muito claro aonde quer chegar. Já foi um pequeno sacrifício.
Mas este de agora, que servirá de guia pra o tal trabalho, que eu vou ter de usar até abril, em que vou ter de me basear pra todas as etapas da pesquisa e da confecção da monografia, este vai se mostrar um sacrifício beeem maior.
É por essas e por outras que, cada vez mais, vou confirmando a impressão inicial geral de que o curso é, sim, meio tabajara. Uma pena!
Na boa, dá uma certa vontade de desistir e procurar algo mais bem estruturado. Mas vou perseverar ainda um pouco e ver se treino mais minha paciência e meu espírito de tolerância.
Enquanto isso, vou fazendo minha parte o melhor que puder, que jeito?

3 comentários:

Anônimo disse...

Hum, que lástima! Ler livro com erro já é ruim corriqueiramente. Imagine quando é referência. Fala sério! Você vai comentar sobre a precariedade do material com a orientadora? =)

Juh Amor.im disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juh Amor.im disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Pra não ser estraga-prazer!

No começo, eu evitava falar das tramas dos filmes, livros e séries que comento aqui, mas isso limita muito e, com o tempo, dei mais liberdade às minhas postagens.
Porém, como eu não gosto que me contem as histórias, como eu adoro as surpresas que os criadores geralmente nos preparam com tanto esforço, não quero estragar o prazer de ninguém.
Se você é como eu, melhor ler ou ver antes. Mas convido-o a voltar depois, pra saber o que eu achei.